Probióticos: para a vida e para a corrida

Adicionada em 29 de agosto de 2013

Você sabe o que são probióticos? Se não, saiba que quando você consome suplementos alimentares industriais em formato de pó ou capsula, ou alimentos como iogurte, leite fermentado ou queijo você está ingerindo essas “bactérias amigáveis”, que são muito benéficas à saúde.

De acordo com Vivian Ragasso, nutricionista esportiva do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte, de São Paulo, probiótico significa "para a vida". Ele auxilia no processo de digestão, aumenta o equilíbrio da imunidade, a síntese de vitaminas, a absorção de micronutrientes, combate o desequilíbrio da flora intestinal, diminui o colesterol, auxilia na quebra de lactose, ajuda na produção de ácidos graxos de cadeia curta, e reduz o estresse oxidativo. Porém, entre tantos benefícios, a nutricionista considera os dois últimos – produção de ácidos graxos e redução do estresse oxidativo – como os mais importantes para os corredores.

Os ácidos graxos, juntamente com os carboidratos, são os principais substratos energéticos utilizados pelo músculo durante a prática de atividade física. Eles contribuem com o fornecimento de energia durante o exercício. Quanto mais treinado, maior é a capacidade de oxidação de gordura do individuo.

Vivian ainda explica que, segundo a diretriz da Sociedade Brasileira de Medicina Esportiva, um adulto necessita de aproximadamente 1g de gordura por kg/peso corporal, que corresponde a 30% do valor calórico total (VCT); 8 a 10 g devem ser de ácidos graxos essenciais.

Outra mãozinha que o probiótico dá é na redução do estresse oxidativo, que ocorre quando existe um desequilíbrio entre a liberação e capacidade em inativar os radicais livres produzidos durante o exercício físico, que é causado pelo aumento do consumo de oxigênio, tanto em sua captação pelo organismo quanto na sua utilização pelos músculos.