O corredor que não corre

Harry Thomas Jr
Adicionada em 06 de fevereiro de 2018
Mais em Corrida de Rua

Nestas mais de duas décadas de corrida, me lesionei muito pouco. Entretanto, quando vieram as dores e machucados, demorei meses para me recuperar.

Temida pelos corredores, as lesões crescem na mesma proporção do aumento de adeptos do running. Por conta da inexperiência, os novos praticantes acabam queimando etapas de preparação com o acúmulo precoce de quilômetros rodados, excesso de competições e falta de descanso adequado. Tais atitudes só levam a um atalho para o surgimento de lesões.

É claro, você também pode se machucar feio com uma simples torção de tornozelo durante a corrida – que, aliás, é a causa campeã registrada nas principais clínicas de reabilitação do país.

Não importa o motivo, o veredito do médico vem sempre acompanhado da clássica pergunta: “Mas eu não posso corer nem 1k?”. Com sorte, dependendo da gravidade da lesão, o corredor poderá praticar atividades de baixo impacto, como deep running, ciclismo, natação ou até mesmo uma caminhada em grama e terra.

 

 

Se o caso for off total, ou seja, abstenção completa da atividade física, eu tenho uma estratégia, um macetinho que adotei quase todas as vezes em que precisei ficar parado.

Me levantava, colocava a roupa de corredor e ia aos treinos de corrida ou competições, só que não fazia nada. Ficava nos pontos de apoio incentivando os parceiros, distribuindo água e, às vezes, fazia um exercício que me era permitido. No caso, não comparecia a todos os treinos presenciais. Uma ou duas vezes por semana era o bastante para que o contato com o ambiente de corridas permanecesse vivo.

Eu era o corredor que não corria, mas só de ficar entre amigos parecia que havia treinado, com a mesma alegria e bem-estar que alguns quilômetros são capazes de proporcionar.

Garanto que esse pequeno truque é muito melhor do que ficar em casa reclamando que não pode correr!

Harry Thomas Jr

Harry Thomas Jr

Jornalista especializado em corridas de rua desde 1999, Harry competiu pela primeira vez em 1994 e desde então já completou 31 maratonas – sendo três sub 3 horas: São Paulo (2h59min30), Nova York (2h58min20) e Blumenau (2h58min10). Também concluiu seis Ultratrails: 60K Ultratrail Putaendo, 67K Ultratrail Torres del Paine, 50K Indomit Costa Esmeralda e os 50K Ultra Fiord por três vezes. Já correu em países como Argentina, Chile, Estados Unidos, Grécia e Japão.

Ver mais